o que é marketing de conteúdo?

Afinal, o que é marketing de conteúdo?

Com o crescimento do Marketing Digital e busca cada vez maior das empresas por presença online, quem trabalha como freelancer ou sonha em fazer uma grana extra sem sair de casa ganhou uma nova área de atuação: o Marketing de Conteúdo.

Com o crescimento do Marketing Digital e busca cada vez maior das empresas por presença online, quem trabalha como freelancer ou sonha em fazer uma grana extra sem sair de casa ganhou uma nova área de atuação: o Marketing de Conteúdo.

Você talvez até já tenha ouvido falar dessa estratégia, ou provavelmente já conferiu algum post ou vídeo produzido como parte dela.

Lembra daquele texto ensinando como manter o foco e produzir mais, ou daquele outro dando dicas para conseguir novos clientes? Pois é, todos eles faziam parte de uma estratégia de Marketing de Conteúdo!

E essa é uma das principais características do Marketing de Conteúdo: ser educativo. Se você quer aprender tudo sobre essa tendência, veio ao lugar certo: neste post, você vai aprender o que é Marketing de Conteúdo e conferir todos os detalhes que precisa saber para se tornar um produtor de sucesso!

O que é Marketing de Conteúdo?

Aqui no Escreva Para Web, usamos a seguinte definição:

“Marketing de Conteúdo é uma maneira de engajar com seu público-alvo e crescer sua rede de clientes e potenciais clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e, assim, gerar mais negócios.”

Não entendeu muita coisa? Então responda a seguinte pergunta: com que empresa você iria preferir se relacionar, com uma que está preocupada só com seus próprios problemas ou com aquela que está interessada em realmente te ajudar? Provavelmente a segunda, certo?

O Marketing de Conteúdo surgiu porque empresas de todo o mundo entenderam que o consumidor não se encanta tanto com as propagandas quanto antigamente. Hoje, ele busca consumir de empresas que realmente querem se relacionar com ele e que estejam preocupadas em solucionar suas dores.

Portanto, o principal objetivo de uma estratégia de Marketing de Conteúdo é criar um relacionamento entre empresa e cliente, ajudando o consumidor durante o processo de compra.

Na prática, isso significa que a empresa deve oferecer conteúdo que ajudem o usuário com algum de seus problemas. Vale de tudo: infográficos, blog posts, whitepapers, webinars e muitos outros!

Porém, nem todas as empresas, mesmo as que possuem grandes departamentos de marketing, contam com uma estrutura boa para produzir conteúdo no ritmo que a internet consome — e é aí que entra o papel do produtor de conteúdo.

Esse profissional chegou para preencher essa lacuna e ajudar organizações dos mais variados ramos a produzir conteúdos que sejam realmente valiosos para suas buyers personas. Não está familiarizado com este conceito? Nós explicamos logo a seguir:

Afinal, o que é buyer persona?

Buyer persona é um conceito do Marketing Digital essencial para quem vai produzir conteúdo. Sem ela, o Marketing de Conteúdo simplesmente não existiria — afinal, é para a persona que direcionamos nosso foco na hora de escrever, criar um vídeo ou elaborar um e-book.

A buyer persona é a representação semi-ficcional do cliente ideal de uma empresa. Ela é baseada no comportamento e nas características demográficas de quem o conteúdo deseja atingir, assim como nas suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

Vamos a um exemplo prático? Se você está escrevendo um post para ser publicado no blog de uma empresa que vende produtos para bebês, provavelmente não vai querer gastar seu tempo com mulheres ou homens que não estão esperando um filho(a).

Pessoas nesses papéis possuem interesses, prioridades e objetivos específicos, que influenciarão não só na linguagem que você irá usar no conteúdo, mas também sobre o quê deverá escrever.

Isso tudo é essencial para que você, ao produzir um texto, não gaste seus esforços criando um material para uma audiência muito ampla, que pode não trazer o retorno esperado.

Conhecer bem quem é a sua buyer persona, portanto, ajuda você a manter o foco no conteúdo para que ele atinja pessoas que realmente são valiosas para aquela estratégia.

Só assim você conseguirá, por meio da sua escrita, fazer com que a persona avance de estágio no funil de vendas e fique mais perto de realizar uma compra.

O que é funil de vendas?

A metáfora do funil de vendas já é velha conhecida de profissionais de marketing. Se esse não é o seu caso, fique tranquilo que a gente te explica!

O funil de vendas é uma maneira bem simples de ilustrar o processo de compra pelo qual todo consumidor passa na hora de fazer uma aquisição.

Por meio dele, é possível ajudar produtores de conteúdo a entender em qual etapa a persona para quem eles estão escrevendo se encontra e o que podem fazer para ajudá-la a chegar até o fim do funil.

Basicamente, o funil de vendas descreve o caminho que o consumidor faz até efetivamente se tornar cliente de uma empresa.

Ele é dividido em três etapas: atração, consideração e decisão, e é importante que você conheça bem cada uma delas — afinal, o conteúdo a ser produzido para cada uma tem características bem específicas. Veja só:

Topo do funil: descoberta

Suponhamos que você vá produzir um blog post para uma concessionária de carros. No topo do funil, estarão aquelas pessoas que ainda nem sabem que precisam de um carro, mas que já entendem as dificuldades de ficar sem um, como o tempo que gastam para chegar ao trabalho todos os dias.

Isso significa que elas sentem apenas alguns sintomas do problema que vivem e podem não reconhecê-lo ainda. Cabe a você, portanto, por meio do seu conteúdo, dar nome ao problema e oferecer ao usuário um possível diagnóstico.

Meio do funil: consideração

No meio do funil, o usuário já identificou o problema e está começando a considerar opções para solucioná-lo.

Aqui, você deve buscar educar o consumidor sobre as soluções para o problema dele. No exemplo da concessionária, esses seriam aqueles conteúdos que mostrariam todas as vantagens e benefícios de se adquirir um carro.

Fundo do funil: avaliação e decisão

Nesse estágio, o consumidor já está de fato considerando a compra de um carro, e o seu conteúdo é que irá convencê-lo. É aqui que se encontram os materiais que falam ativamente da empresa e tentam mostrar para ele porque comprar em determinada concessionária vai trazer mais benefícios do que os demais concorrentes no mercado.

Viu como o seu conteúdo é capaz de ajudar o consumidor que se encontra lá no topo do funil a chegar até o fundo? Mas aí você se pergunta: como fazer isso na prática?

Visão geral das melhores práticas de copywriting

O copywriting é justamente a ação de produzir textos com o objetivo de converter uma venda: trata-se da arte de promover, por meio da sua escrita, um produto, marca ou ideia, conduzindo o leitor para que ele realize uma ação específica.

Essa ação não precisa necessariamente ser o fechamento de uma compra: pode ser simplesmente deixar um comentário no post, compartilhar o texto nas redes sociais, entrar em contato com a empresa, assinar a newsletter, baixar um e-book e muitas outras.

Mas cuidado para não confundir redação publicitária e copywriting — são conceitos bem diferentes! Para o copywriting, o importante é que seu conteúdo cumpra esses três mandamentos:

  • Inspire o leitor;
  • Influencie o início de uma relação dele com a marca;
  • Motive o leitor a tomar uma atitude em relação ao serviço ou produto.

Aqui vão algumas dicas para atingir esses objetivos:

1. Produza um texto fácil de ler

Um dos conceitos que todo copywriter precisa dominar é o de escaneabilidade. Afinal, em tempos de internet, chamar a atenção do usuário e fazê-lo ler um texto inteiro é um grande desafio, então o conteúdo precisa estar bem formatado.

O consumidor é bombardeado com conteúdos diariamente, e uma das suas principais preocupações é captar sua atenção. O objetivo do seu texto é fazer com que o leitor sinta urgência em ler aquele texto conteúdo.

Para isso, você deve tornar o seu texto fácil de ler. Ao deixar seu texto “escaneável”, o leitor conseguirá entender do que ele se trata e os benefícios que pode trazer para sua vida com uma rápida passada de olho.

Use e abuse de recursos como intertítulos, listas, negritos e parágrafos curtos, que deixam seu texto mais fácil de ser escaneado e tornam a leitura mais natural.

Outro ponto importante é fazer uma introdução instigante, que convide o usuário a continuar aquela leitura. Por isso, deixe pistas ao longo do conteúdo indicando o que ele vai ganhar se chegar ao fim.

2. Não se esqueça das palavras-chave

O SEO e o Marketing de Conteúdo andam de mãos dadas, e não dá para falar de um sem falar do outro. O Search Engine Optimization nada é mais é do que um conjunto de práticas que visam melhorar o rankeamento do seu conteúdo no Google e nos demais mecanismos de buscas.

A principal dessas estratégias é a utilização de palavras-chave, que são os termos que os usuários digitam para fazer uma pesquisa. Elas podem ser head tail (aquelas mais genéricas, como por exemplo “produtos de beleza”) ou long tail (termos mais específicos, como “produtos de beleza para peles oleosas”).

Cada conteúdo deve focar em uma palavra-chave, e é importante repeti-la ao longo do texto para que os mecanismos do Google reconheçam o conteúdo quando alguém digitar uma pesquisa que contenha esse termo.

O interessante é que, além do título, sua palavra-chave esteja na introdução, na conclusão e em algum dos seus intertítulos. Mas atenção: não adianta só sair jogando o termo no meio do conteúdo sem que isso faça sentido!

Um dos muitos critérios de avaliação do Google para o rankeamento é a relevância do conteúdo, e isso também conta bastante na hora de determinar se seu post irá aparecer na primeira página dos resultados de uma busca ou na segunda.

3. Seja educativo

Nós já falamos aqui, mas sempre vale repetir: seja educativo. Seu principal objetivo na hora de produzir qualquer material é resolver os problemas do cliente, e é educando-o que você fará isso.

O melhor tipo de conteúdo é aquele que a buyer persona vai querer ler, compartilhar e voltar querendo mais. Conheça bem a persona para quem você está falando para saber produzir um conteúdo que fale diretamente para ela e realmente traga valor para sua vida.

4. Construa o link building

Outro aspecto que ajuda o Google a rankear bem um conteúdo é o link building. Quanto mais páginas linkando para um conteúdo, melhor será o rankeamento dele. Por isso, é sempre importante incluir links de conteúdos complementares ao que você está escrevendo.

Além de deixar o texto mais rico, isso também ajuda a otimizar o tráfego no blog do cliente, fazendo com que o usuário acesse outras páginas que vão aumentando o nível de interação dele com a marca e conduzindo-o para mais perto do fundo do funil.

5. Faça um CTA matador!

O call-to-action (CTA) é ponto obrigatório de qualquer conteúdo: é por meio dele que você irá, efetivamente, conduzir o leitor a tomar uma atitude.

Uma CTA é exatamente o que sua tradução quer dizer: uma chamada para ação. Ela toma a forma de uma imagem ou linha de texto para pedir aos leitores que reajam de determinada maneira.

Para construir uma boa chamada, existem algumas dicas essenciais. Veja só:

  1. O CTA deve estar destacado visualmente do resto do texto: não deixe o call-to-action solto no meio de tudo que você escreveu. Ele deve sempre ficar em destaque, de preferência em um parágrafo separado, garantindo uma área de respiro em volta dele.
  2. Escolha um CTA por texto: se você utilizar várias chamadas no mesmo conteúdo, vai acabar fazendo com que o leitor se perca. Por isso, escolha um bom CTA e invista nele.
  3. Utilize textos simples e objetivos: a ação que você espera que o consumidor tome deve estar clara, fazendo com que ele entenda bem a mensagem.
  4. Abuse do seu poder de persuação: o segredo de um CTA matador é ser persuasivo e saber convencer o leitor! Estimule-o a responder rapidamente sem deixar que ele fique vagando entre várias possibilidades.

Agora que você já sabe o que é Marketing de Conteúdo e viu as principais dicas para produzir um conteúdo excelente, você está no caminho certo para se tornar um copywriter de sucesso!

Isso não só servirá para que você arranje mais clientes e trabalhos como freela, como também para que desenvolva seu marketing pessoal e se torne um produtor de conteúdo referência no mercado!

E, para te ajudar nessa caminhada, temos um curso inteiramente gratuito sobre produção de conteúdo para web.  Além de aprofundar seus conhecimentos sobre Marketing de Conteúdo, você pode se qualificar para produzir conteúdo profissionalmente na internet!

Ao fim do curso você pode prestar um exame e se certificar com um dos melhores selos de qualidade do mercado. Não perca mais tempo e até a próxima! 🙂

Curso de Produção de Conteúdo