como-conquistar-novos-clientes

Entenda como conquistar novos clientes sendo freelancer!

Então você pensou, pensou, e viu que realmente vale a pena investir na sua própria carreira como freela. Trabalhar com horário flexível, de qualquer lugar do mundo e fazendo aquilo que você adora. Que maravilha!

Então você pensou, pensou, e viu que realmente vale a pena investir na sua própria carreira como freela. Trabalhar com horário flexível, de qualquer lugar do mundo e fazendo aquilo que você adora. Que maravilha!

No entanto, para que tudo comece a funcionar de verdade, só falta um detalhe, um pequeno detalhezinho que você por enquanto não resolveu: o cliente. Aquele cara que vai colocar o dinheiro todo mês na sua conta. Um sujeito que não aparece do nada e nem cai do céu, a menos, é claro,  que você saiba muito bem como conquistar novos clientes.

E já que o assunto é esse, e já que nem todo mundo sabe como fazer para encontrar essa pessoa por aí, resolvemos fazer esse post onde daremos algumas dicas para você que precisa e está na cola de encontrar um bom cliente.

Quer aprender como fazer isso? Então vamos lá!

Tenha uma “vitrine virtual” dos seus serviços

Não adianta ter 1000 amigos no Facebook, 300 curtidas em cada foto do Instagram e nem mesmo ser cumprimentado a cada esquina do bairro: se você não mostra o seu serviço para o mundo, ninguém tem a obrigação de saber o que você faz da vida.

Por isso, ainda que você não seja um webdesigner, fotógrafo ou programador — profissões onde é relativamente mais fácil vender o serviço pela internet —, é mais do que importante ter uma vitrine virtual do seu trabalho.

E aí, meu amigo, vale lembrar que essa “vitrine” pode ser desde um (bom) site até uma fanpage ou um perfil profissional no Instagram. O que interessa é mostrar o seu trabalho e dar o seu contato para o mundo.

Ah, e também vale lembrar que isso funciona para vários tipos de profissões, como:

  • Professores de inglês
  • Músicos
  • Pintores
  • Eletricistas
  • Arquitetos
  • Advogados
  • Coaches
  • Editores de vídeo
  • Jornalistas
  • Radialistas
  • Bombeiros hidráulicos
  • Cozinheiras
  • Babás
  • Diaristas

E, claro, as já citadas profissões de designer, fotógrafo e programador dentre tantas outras.

Seja ativo na internet

Ter um vitrine na web, como dissemos antes, é bem importante, mas isso não tem como funcionar se a pessoa não cuidar dela. É cada vez mais fundamental ser alguém ativo na internet.

E “ativo na internet” não quer dizer postar um monte de coisa no Facebook e ficar o dia todo em chat do Whatsapp. É preciso atualizar alguma coisa sobre o seu trabalho, atualizar suas informações sempre que necessário e, acima de tudo isso, responder rapidamente uma mensagem ou e-mail com pedido de orçamento ou com alguma pergunta sobre o seu trabalho.

Mostre que você está trabalhando e que sabe atender um cliente quando ele precisa.

Saiba usar os canais específicos da sua profissão

Além dos sites e perfis profissionais das redes sociais, hoje em dia também existem outros tipos de redes voltadas para públicos e até profissões bem específicas. Redes que podem ser muito bem aproveitadas para divulgar um novo trabalho e ainda ter destaque em um meio onde as empresas estão sempre de olho atrás de bons nomes.

E aí, nesse caso, temos alguns bons exemplos de redes específicas como:

Behance

Bastante voltada para o mundo das artes visuais, principalmente design gráfico, webdesign, ilustração, fotografia e motion design.

Github

Voltado para o pessoal do desenvolvimento, esse hub reúne os trabalhos de diversos programadores e profissionais de TI de várias linguagens e segmentos diferentes do mercado.

Medium

Hoje existem várias plataformas de publicação de texto por aí (desde os famosos blogspot e WordPress até aquelas do Facebook e Linkedin), no entanto, nenhuma delas é tão bem vista pelo jornalismo quanto o Medium, um lugar excelente para publicar artigos, posts e ideais que vendam o seu trabalho como redator e jornalista.

Mostre que você entende MESMO do assunto

Se tem uma outra maneira bastante prática de atrair novos clientes é mostrando para eles que, além de você ser um bom profissional, você é uma pessoa que entende a fundo a respeito daquilo que faz. Ou seja: se tornando uma referência naquele assunto.

E aí, para isso, você pode falar sobre temas relacionados à sua profissão em blogs (como o UX.blog, que fala sobre usabilidade), canais de Youtube (como o Nômades Digitais, que mostra a vida de quem trabalha viajando pelo mundo) e até podcasts (como o programa “Alô Ténica”, do site Radiofobia, que fala sobre como trabalhar com podcasts).

Não seja mão de vaca!

Fez um post muito legal no Medium? Um vídeo bacana no Youtube? Tem um case sensacional de algum cliente que precisa ser contado? Então que tal patrocinar isso nas redes sociais ou até em sites especializados para divulgar a sua imagem (e serviços) por aí?

Sim, isso mesmo! Contar com o poder orgânico da web é lindo, mas, vamos combinar: nada como tirar aquele escorpião do bolso e pagar para ter um pouco de vantagem sobre a concorrência, não é mesmo?

Se cadastre em plataformas de freelas

Outra boa forma de arrumar um cliente por aí é através das centenas de plataformas de freelas que já existem na web. Plataformas que servem para ajudar profissionais de diversos tipos diferentes de profissões.

Quer ver só?

99 designs

Mostrando novamente a quantidade de chances que os designers têm de descolar um freela na internet, o site 99designs é um dos grandes nomes para quem busca trabalhos de produção gráfica.

Upwork

Animadores, consultores, especialistas em call centers, desenvolvedores, vendedores… o que não falta são oportunidades nesse site que, além de ter vagas para vários tipos de profissionais, só paga seus trabalhos em dólar — mas aí, claro, tem que dominar o inglês.

WeDoLogos

Com mais de 35 mil clientes cadastrados, a We Do Logos conecta designers e redatores a empresas que buscam alguém para planejar, escrever e criar suas peças publicitárias, sites, banners e, claro, logos.

Rock Content

Escreve bem? Bem mesmo? Entende de marketing? Quer fazer uma graninha durante os horários livres ou até mesmo viver como freela de produção de conteúdo? Então a brasileira Rock Content foi feita para você. Tendo possibilidades de escrever, revisar e planejar estratégias, os freelas têm o contato com os clientes sempre intermediado pela empresa, o que facilita muito o trabalho, não é mesmo?

Ajude e seja ajudado

Se você acabou de chegar no mercado — seja ele qual for — e não tem muita experiência, então não tente já ir para a janela atrás do melhor lugar.

Comece por baixo. Aceite trabalhos mais baratos (ou até de graça) e aproveite para mostrar serviço em ONGs. Dessa forma, além de poder ajudar quem ainda não tem grana para pagar (bem) pelo serviço, você também ganha experiência, portfólio e nome no mercado.

Lembre-se que até grandes profissionais, mesmo depois de trabalharem em grandes marcas, sempre acabam fazendo algo apenas pelo prazer de fazer ou para ajudar alguém que precisa. E muitas das vezes, são esses trabalhos os que mais chamam a atenção.

Viu só, não é nada complicado encontrar alguém disposto a bancar o seu serviço de freela. E agora que você já sabe como conquistar novos clientes e mostrar o seu trabalho para o mundo, que tal começar a voltar a planejar de uma vez por todas as sua saída desse mundo da CLT?

Ah, se você se encaixa naquele exemplo de redatores em busca de freelas que falamos ali em cima, que tal então conferir as oportunidades que a Rock Content tem para você?