Como criar um blog

Como criar um blog: confira o nosso passo a passo detalhado!

Não é de hoje que os blogs deixaram de ser uma plataforma meramente pessoal para se tornarem o braço direito dos empreendedores.

Não é de hoje que os blogs deixaram de ser uma plataforma meramente pessoal para se tornarem o braço direito dos empreendedores.

Graças às inúmeras possibilidades oferecidas pelo marketing de conteúdo, recursos que antes pareciam longe da realidade corporativa são, agora, peças fundamentais para o bom andamento das vendas e para o posicionamento das empresas no mercado.

Mas você sabe como criar um blog e, principalmente, como fazer isso para auxiliar o seu negócio? Se restou alguma dúvida na hora de responder, então você está no lugar certo! No post de hoje, mostraremos em detalhes tudo que é preciso para criar um blog. Acompanhe!

Construindo um blog

Entre as inúmeras vantagens de ter um blog, a que mais se destaca é a possibilidade de se aproximar do seu público. Ainda hoje, é comum associarmos esse tipo de site a textos mais íntimos, que parecem falar diretamente com o usuário.

Aliás, o trunfo desse investimento é justamente oferecer ao seu cliente um conteúdo que faça com que ele se identifique e confie em você para buscar soluções!

Uma linguagem mais acessível, bem como postagens relevantes e direcionadas, facilitam a tarefa de atrair leads e converter vendas. Como tudo ficará disponível online, isso pode ser feito sem exigir gastos excessivos.

Além disso, o marketing digital não é uma propaganda escrachada dos seus produtos ou serviços — muito pelo contrário! Suas estratégias são sutis, subjetivas e realmente visam solucionar um problema, despertando no cliente a necessidade de consumir sua oferta sem que ele se dê conta, muitas vezes, de que aquele conteúdo se trata de uma ferramenta de marketing.

Mas como nem tudo são flores, essa tarefa pode acabar se revelando um pouco mais complicada do que aparenta. Pensando nisso, preparamos este passo a passo para te ajudar a elaborar um blog adequado para qualquer uma das suas pretensões.

Vamos começar pelos aspectos técnicos:

Entendendo como o blog funciona

Embora boa parte das pessoas não saiba o que significa CMS, essa sigla é a responsável pela criação massiva de blogs que vemos hoje.

Basicamente, CMS significa Content Management System — em português, Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. Atualmente, é ele que está por trás de toda a estrutura do blog, facilitando recursos básicos como criar páginas, links, posts e caixa de comentários.

Graças ao CMS, qualquer usuário pode criar um blog do zero, com autonomia total: basta escolher qual plataforma atende melhor os seus objetivos.

Escolhendo a plataforma ideal para o seu blog

Entre as diversas possibilidades de plataforma, existem 3 que se destacam pelas suas funcionalidades: Wix, WordPress e Blogger — a versão mais recente do falecido Blogspot.

Todas essas plataformas contam com hospedagem gratuita e layouts voltados para áreas de atuação variadas.

Para quem está começando a blogar, estes serviços te pouparão o trabalho de comprar e configurar um serviço de hospedagem e ainda oferecer design e funcionalidades sempre atuais.

Se você pretende criar um blog para seus freelas de fotografia, por exemplo, eles oferecem templates semiprontos com designs que dão destaque a imagens.

Por outro lado, se a sua ideia for montar algo mais profissional — um site para a sua empresa, por exemplo —, é importante levar em consideração uma série de fatores que vai além das opções de layout.

Nessa etapa, a melhor solução é estudar atentamente cada plataforma. Veja os pontos que você deve se atentar:

Suporte ao cliente

Parece meio estranho falar disso quando toda a ideia de ter um blog se apoia em não depender de muita burocracia, não é? Mas acredite, esse é um item relevante!

Apesar da autonomia que o meio digital oferece, tocar tudo sozinho pode ser uma tarefa complicada. Afinal, seu blog precisa de um host — um sistema de hospedagem —, que pode deixar de funcionar e te colocar numa fria caso você não tenha acesso a um suporte de qualidade.

A falta de resposta do servidor é um problema bastante comum, e um exemplo do que não depende apenas de você para ser resolvido. Para evitar problemas maiores — como o seu site ficando fora do ar devido a um número excessivo de acessos, por exemplo —, é importante ter certeza de que o serviço de suporte ao cliente é rápido, eficiente e atencioso.

Preço

Não, não adianta ir atrás dos que oferecem hospedagens domínios mais baratos. O preço, na verdade, é uma medida relativa e vai depender muito do que você pretende com o seu blog.

Às vezes o valor pode parecer atrativo, mas seus objetivos não estão de acordo com a oferta. Investimentos mais baixos podem culminar em funções pouco abrangentes, o que, no futuro, trará problemas muito maiores do que os que você tentou evitar ao pagar por um serviço mais em conta.

Por isso, deixe o preço por último. Antes de tudo, avalie se o servidor atenderá plenamente as suas necessidades.

Adicionais

Se você está começando agora e ainda não domina instalações, scripts ou outros recursos do tipo, vale checar se o host oferece serviços adicionais, como configuradores de e-mail personalizado. Isso poupará não só tempo, mas um bocado de estresse!

Opinião dos usuários

Antes de adquirir um produto, é fundamental saber se ele foi aprovado por seus consumidores. Para isso, basta uma busca rápida na internet, em fóruns ou em sites de reclamações. Dependendo do feedback, você já pode dispensar um ou outro item da lista de possibilidades.

Mas se mesmo depois de comparar esses itens você ainda não se decidir por um servidor, vale a pena se guiar por questões menos específicas. Veja, a seguir, algumas das principais diferenças entre os três serviços de blog citados anteriormente:

Wix

Embora seja uma opção recente no mercado, o Wix é incrivelmente popular, especialmente no Brasil.

Além de layouts personalizados bem agradáveis, essa plataforma oferece opções para lojas virtuais, portfólios e blogs pessoais que requerem pouquíssimas alterações por parte do usuário.

Uma desvantagem, porém, é o seu carregamento lento, fator que implica em uma baixa nos resultados de busca do Google.

WordPress

Com uma variedade considerável de plugins, templates e extensões, o WordPress é a escolha certa se você procura algo acessível e simples de administrar.

Com duas versões, o WordPress.com fornece hospedagem e domínio gratuitos, ideal para quem deseja criar um blog em menos de um dia.

Já no WordPress.org você pode baixar uma versão mais completa do CMS e instalar em um servidor privado. Desta forma você tem acesso a ainda mais plugins e funcionalidades praticamente ilimitadas!

Atualmente, a maioria dos blogs disponíveis na internet são feitos via WordPress, o que coloca a plataforma em considerável vantagem em relação aos outros dois. Além disso, o WordPress conta com um sistema open source, imprescindível para sites mais profissionais.

Blogger

Por ser derivado do Google, é mais fácil integrar o Blogger a outros aplicativos da empresa, como o Google Ads. Aliás, se você já possui uma conta no Gmail, não precisa nem se cadastrar no Blogger: é só começar a usar.

Essa ferramenta também não requer muitos conhecimentos de CMS para ser operada, e sua grande vantagem é a rapidez com que ela aparece nos resultados de busca do Google.

Por outro lado, dependendo do seu objetivo, o Blogger pode ser pouco customizável e não deixar margem para expansão.

Se você ainda tem dúvidas em relação ao uso das plataformas, confira este artigo da Rock Content sobre o assunto!

Obtendo um domínio para o blog

Escolhido o host, é hora de pensar em um domínio. Normalmente, confundimos domínio com endereço — embora relacionados, eles estão longe de ser a mesma coisa.

Vamos supor que você criou um site para sua empresa, que se chama Empresa X. O seu domínio pode ser empresax.com ou empresax.com.br, que será o referencial de acesso ao site. Já o endereço corresponde a tudo o que estiver vinculado ao domínio, como um artigo ou uma página dentro do site.

Para entender um pouco melhor, pense no domínio como um bairro, e o endereço como uma rua. É importante, portanto, pensar em um nome que seja facilmente memorizado: assim, os visitantes não terão dificuldade para encontrá-lo.

Obter um domínio é simples: basta acessar um registrador de domínios, verificar a disponibilidade do domínio desejado, se cadastrar, informar o DNS do seu servidor (o que pode ser feito depois, se preferir) e efetuar a compra.

Colocando o blog para funcionar

Tudo pronto, agora é só postar e ficar de olho nas estatísticas, certo?

Errado!

Infelizmente, ter um blog não significa escrever uns textos aqui e acolá e esperar o número de visitantes crescer descontroladamente.

Como qualquer investimento, ele requer um planejamento cuidadoso, táticas bem direcionadas, estratégias bem definidas e acompanhamento de perto — só assim será possível assegurar que todos os objetivos estão sendo alcançados.

Criar um blog, se considerarmos “criar” como disponibilizá-lo na internet, é a parte fácil. Nesse contexto, porém, quando falamos em como criar um blog de sucesso, incluímos a ideia de nutri-lo com conteúdo de qualidade, angariando cada vez mais cliques.

Da mesma forma que o seu negócio precisa se desenvolver e vender produtos ou serviços para ser tratada como uma empresa de verdade, um blog só é realmente um blog ao adquirir personalidade e ser atualizado periodicamente.

Mas fique tranquilo: se você se atentar a algumas questões essenciais, essa missão não será nenhum bicho de sete cabeças! Confira quais são elas a seguir:

Planejando ações assertivas

Quais são as suas prioridades em relação ao blog? O que te levou a criá-lo? Você quer conquistar novos clientes ou fidelizar os antigos? Quantos acessos você gostaria de obter em uma semana? E em um mês? Quem produzirá o conteúdo do blog?

Prepare uma lista com perguntas como essa: as respostas servirão para nortear as suas estratégias de marketing digital. Seja realista nas respostas, mas não se prive de sonhar um pouco!

É importante acreditar que o seu blog pode crescer — isso te manterá motivado. Ao elaborar as ações, considere tanto o curto quanto o médio e o longo prazo. Separando-as de acordo com essas categorias, será mais fácil priorizar a aplicação de investimentos.

Definindo o perfil do seu blog

Se você pretende fazer do seu blog uma extensão do seu negócio, o tema não chega a ser um obstáculo. Em uma empresa que vende carros, por exemplo, o blog estará associado à indústria automobilística.

No entanto, é fundamental que você defina como será feita essa abordagem. Você pretende compartilhar novidades do seu segmento? Como será estruturado o seu funil de vendas? O seu blog possibilitará uma interação maior com seus clientes? Será apenas uma forma de contato?

Tudo isso interfere na hora de delimitar a personalidade do blog. Como ressaltamos ao tratar dos layouts, são diversas as características agregadas ao tipo de site que você pretende oferecer.

Em sites que trabalhem estratégias de marketing de conteúdo, porém, é imprescindível que o seu conteúdo seja informativo. Você quer que o seu visitante o mantenha em seus favoritos, certo? Então, artigos relevantes voltados para a sua área de atuação são indispensáveis!

Estipulando a frequência de postagens

Dez artigos em uma semana, dois na outra: esse é o erro mais grave que qualquer um que esteja começando um blog pode cometer.

A empolgação inicial não deve turvar sua visão a longo prazo. O planejamento, aqui, é a peça-chave para um site consistente. Quantas postagens serão feitas por semana? Em quais dias? Qual será o tamanho das postagens?

Além da qualidade do conteúdo, o que irá fidelizar seus visitantes e convertê-los em leads — e, consequentemente, em vendas — é sua constância. Não se esqueça de que o blog também depende do marketing!

Uma estratégia interessante é determinar ocasiões específicas para postagens mais longas e diferenciadas. Você pode fazer um podcast a cada quinze dias, por exemplo, ou um post com uma lista de dicas todo sábado.

Divulgando o seu blog

Outro equívoco recorrente é acreditar que basta criar o blog e pronto, todo mundo saberá que ele existe e irá acessá-lo. Infelizmente, isso não funciona bem assim.

Um dos objetivos do marketing de conteúdo é aumentar o tráfego orgânico do seu blog, correto? Entretanto, ainda sim o seu blog precisa de divulgação. Nesse contexto, perfis em redes sociais são fundamentais: quanto mais canais você se fizer presente, melhor.

Devido ao seu alcance massivo, o Facebook é um canal bastante útil para divulgar seu blog. Se optar por patrocinar os posts, ele atingirá a um número considerável de pessoas. Nesse caso, é interessante destacar, junto ao link para o artigo, algumas informações que chamem a atenção do público.

Já o Twitter, por exemplo, é uma plataforma bem dinâmica. Entre as mais populares, é a que melhor atende ao imediatismo publicitário, e seu recurso de hashtags ajuda a otimizar a divulgação. O segredo é construir chamadas breves, objetivas e postá-las periodicamente (3 vezes ao dia, por exemplo).

Uma chamada bem construída já é meio caminho andado para o sucesso da divulgação do seu blog!

Colhendo os frutos do seu blog

Uma vez encaminhado, com visitantes freqüentes e conteúdos bem difundidos pelas redes, seu principal esforço será continuar buscando as melhores formas de se destacar. Para isso, é importante ficar atento ao feedback do seu público.

Cheque, sempre que possível, os comentários em suas postagens. Verifique sempre o que dizem do seu site pelas redes sociais, estimule a participação e esteja aberto a ouvir críticas construtivas, tirar dúvidas e interagir.

Além disso, procure formas alternativas de aumentar o tráfego do blog e expandi-lo ainda mais, prezando sempre pela originalidade e eficiência. Lembre-se que um blog é um investimento, então não desanime se o retorno não for imediato. Da mesma forma, não relaxe quando as coisas estiverem bem encaminhadas: para crescer, é preciso se aprimorar sempre.

Agora que você já sabe como criar um blog atrativo, mãos à obra!

Que tal se manter informado sobre esse e outros assuntos relacionados à produção de conteúdo para web?