marketing-viral

Marketing viral: entenda o que é preciso para viralizar os seus textos!

Capazes de provocar emoções, causar milhares de compartilhamentos e chamar a atenção para um determinado assunto, alguns conteúdos são bons exemplos de como funcionam os virais da internet. Podem ser textos, fotos, memes, vídeos, gifs, notícias ou qualquer outro tipo de conteúdo que tenha grande capacidade de compartilhamento.

Capazes de provocar emoções, causar milhares de compartilhamentos e chamar a atenção para um determinado assunto, alguns conteúdos são bons exemplos de como funcionam os virais da internet. Podem ser textos, fotos, memes, vídeos, gifs, notícias ou qualquer outro tipo de conteúdo que tenha grande capacidade de compartilhamento.

No entanto, não adianta agora você começar a pensar que basta copiar uma fórmula para que todos os seus textos bombem na internet — lembre-se que não é porque as listas do Buzzfeed funcionam que todos os blogs com listas são verdadeiros sucessos da internet.

Como você verá por aqui, não existe uma garantia de 100% de que algo poderá  viralizar na rede. Porém, existe algo em comum entre todos os grandes virais. E é exatamente isso o que iremos abordar aqui no artigo.

Ficou curioso? Então vamos lá entender como nascem os virais.

Afinal de contas, o que é um conteúdo viral?

A menos que você tenha passado os últimos 4 anos dentro de uma caverna, é provável que você já tenha ouvido — e porque não, dançado — o hit Gangnam Style do artista sul-coreano PSY. Uma música que fez tanto sucesso que conseguiu até mesmo quebrar o contador de visualizações do Youtube.

Pois bem, com seus mais de 2 bilhões e meio de views, não dá para negar que Gangnam Style é um dos maiores virais que já vimos na internet. Agora, isso não quer dizer que todo viral precisa chegar nesses números para poder ser considerado um sucesso.

Veja o exemplo dos memes do Oscar 2016. O mundo inteiro esteve falando sobre o tão sonhado prêmio que Leonardo DiCaprio finalmente ganhou. Por outro lado, em proporções menores, tivemos um meme nacional muito forte, não é mesmo, Glória Pires?

Mesmo tendo proporções de audiência muito diferentes, estes casos de meme são ótimos exemplos de conteúdo que ganharam o selo de “viral”.

Lembre-se que quando falamos de algo que se viraliza, estamos falando de algo que espalhou para um grande público. Mas isso não quer dizer que esse público tenha que ser necessariamente composto por milhões de pessoas.

O DNA do conteúdo viral

Pronto, agora que está entendido que existem virais e virais, e que existem diferentes tamanhos de públicos, vamos estudar aquilo que tem em comum em todos os casos. O DNA do conteúdo viral.

Se formos voltar no tempo, veremos que os primeiros virais da web aconteceram lá atrás, na época dos primeiros e-mails — lembra de uma corrente que dizia que se você passasse um e-mail para mais pessoas o próprio Bill Gates iria te encaminhar um cheque de 200 dólares? Pois é, isso aconteceu em 1997 e 10 anos depois a mensagem ainda circulava por aí.

No entanto, mesmo hoje, com tantos canais e formatos diferentes de compartilhamento, a verdade é que a base dos virais continua sendo a mesma de antes. Veja só.

Emoções

Em 2009, dois professores da universidade da Pennsylvania analisaram diversas notícias que apareciam entre as mais comentadas do site do New York Times. A ideia era ver exatamente o que fazia com que tanta gente falasse sobre um determinado assunto na web. E o que eles descobriram com isso?

Que textos capazes de produzir emoções como raiva — como os posts de política ou preconceito  no Facebook, por exemplo —,  espanto ou ansiedade atraiam muito mais vontade de compartilhamento do que os outros.

Humor

Já dizia aquele sábio provérbio do sargento Rocha: “Quem quer rir tem que fazer rir”. E isso é algo que vale para tudo, inclusive para o marketing viral.

Conteúdos que sejam minimamente bem humorados tendem a nos chamar mais atenção e despertar o nosso interesse em compartilhar e até mesmo ir até o final do post.

Timming

Pegar a carona em algum hype do momento também é uma ótima forma de viralizar o seu conteúdo.

Leonardo DiCaprio levou um Oscar? Fale dele! Saiu um nova versão do iPhone? Dê logo a sua opinião. Divulgaram o trailer do próximo filme do Batman? Corra para soltar o post.

Ter o timming certo faz parte de qualquer estratégia de marketing de conteúdo. Agora, vale dizer que, se você quiser esperar um pouco para produzir algo com mais densidade, também não tem problema algum nisso. Só não lance no mês que vem um artigo falando do Oscar do DiCaprio, porque aí já era.

Surpresa

Relativamente ligado ao timming, temos o elemento surpresa. Ou, em outras palavras, aquele texto que nos pega desprevenidos. Quando menos esperávamos. E o fator surpresa é algo que sempre ajuda a impulsionar os resultados de qualquer material na web.

Agora, mesmo com tudo isso é bom deixar claro que apenas produzir um conteúdo com todo esse DNA não fará dele um grande viral da internet. Ainda dependemos de espalhá-lo por aí.

E para divulgar uma mensagem na web, existe algo que pode te ajudar bastante no processo: são os nós da internet.

Os nós da internet

Quando falamos da internet, falamos de rede. De algo que tem milhares de conexões que levam uma mensagem a um número gigantesco de pessoas.

E para que um conteúdo se torne viral, você precisa divulga-lo para a maior quantidade dessas pessoas, certo? Aí vem a pergunta: como fazer isso?

Bem, se você tem um canal com centenas de milhares de seguidores, isso é algo relativamente fácil de ser feito. Agora, se não for o caso, uma boa maneira de popularizar um material na rede é através dos nós da web, ou melhor, aqueles sites, portais ou personalidades que, além de ter uma legião de fãs, consegue fazer com que eles tenham engajamento com quase tudo o que publicam.

Repare: no Facebook existem diversas fanpages com mais de 1 milhão de usuários que não conseguem nem mesmo 100 likes para os seus posts, já percebeu isso? Por outro lado, existem fanpages com 1 mil ou 10 mil que conseguem números impressionantes de comentários, curtidas e compartilhamentos. Esses são os nós da internet que você deve tentar atingir.

Mas será que é fácil chegar até eles? A resposta é: depende.

Se o seu conteúdo for realmente interessante, nada impede de que ele chegue até o conhecimento desses nós, que também terão chances de achá-lo interessante e compartilhá-lo. Por isso, antes de qualquer coisa, o seu texto precisa estar bem escrito, bem formatado e, de preferência, com vídeos e fotos que o deixem ainda mais atraente para o leitor.

Agora, se você quiser cortar caminho, também existe uma outra maneira de viralizar o seu conteúdo.

Se precisar, dê aquele empurrãozinho

Se no final das contas você não conseguir viralizar o seu conteúdo só com os seus acessos e seguidores e nem conseguir ajuda de algum desses nós da web, nada impede que você arrisque também nos posts patrocinados do Facebook ou Twitter para tentar levar aquela palavra para mais pessoas. E não tem nada de errado e nem de caro nisso.

Hoje em dia com 20 reais você já pode atingir milhares de novos seguidores nas redes sociais e com isso atrair mais views para o seu conteúdo. Mas, claro, quanto mais verba você tiver para isso melhor.

Além do Facebook, também existem hubs de posts, como o Ocioso que cobram um determinado valor para colocar o seu link por lá e com isso atrair alguns views a mais para o seu blog ou site.

Agora, vale dizer que, mesmo com essa ajuda que o cartão de crédito pode te dar, o conteúdo deve ser realmente interessante para ter o resultado esperado. Portanto, vale repetir o aviso de sempre: pense, antes de mais nada, no conteúdo que você está escrevendo e na relevância dele para o público. Não tente fazer com que algo se torne viral só porque você ou seu cliente quer isso. Ok?

Capazes de nos arrancar um sorriso ou até mesmo um pensamento que estava guardado lá no fundo da cachola, os posts produzidos com ajuda do marketing viral não são nenhuma novidade para quem já está acostumado na internet. Porém, eles também não são nada fáceis de serem feitos.

Por isso, se você deseja produzir um conteúdo que viralize por aí, nunca se esqueça da regra básica da internet: seja original e relevante para a sua audiência. Só assim o seu texto terá chances de ganhar atenção contra todos os gifs animados e vídeos do snapchat do Padre Fábio de Melo.

Gostou do nosso artigo? Então aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro das nossas postagens.